Canal de Energia da Bexiga

Canal de Energia Principal da Bexiga

O Canal de Energia Principal da Bexiga recebe energia do canal do Intestino Delgado através de um ramo existente no canto interno do olho. De lá, o canal sobe ao crânio e o percorre mantendo-se a 1,5 polegadas da linha mediana até a nuca em ambos os lados, se unindo na região cervical; em seguida, o canal se bifurca em duas redes paralelas, que descem pela coluna, mantendo-se, uma a 1,5 polegadas e outra a 3,0 polegadas da mesma.

A ramificação a 1,5 polegadas da linha média do corpo (ou da coluna), penetra na coluna lombar e conecta-se com rim e bexiga; descendo ao glúteo, reencontra o canal da Vesícula Biliar; e alcança a região poplítea, onde volta a se unir à outra ramificação.

A ramificação a 3,0 polegadas da coluna, desce da região do pescoço em linha reta; atravessa a região glútea, indo ao maléolo externo; passa ao longo do quinto osso metatarso para terminar no ângulo ungueal do quinto artelho, de onde a energia salta para o canal do Rim.

No vértice do crânio, o canal penetra no cérebro conectando-se ao Vaso Governador, de onde outro ramo segue bilateralmente para a área acima da orelha e conecta-se ao canal da Vesícula Biliar.

 

Canal de Conexão da Bexiga

Da metade póstero-lateral da perna partem o Canal de Conexão Longitudinal e Transversal.

 

Canal de Conexão Longitudinal

Segue para o alto paralelamente ao canal da Bexiga; passa na cervical; contorna o crânio e segue em direção ao canto interno do olho, de onde um ramo penetra e chega na asa do nariz.

 

Canal de Conexão Transversal

Dirige-se da metade póstero lateral da perna para a depressão situada na metade da distância entre o ponto mais proeminente do maléolo interno e o tendão de Aquiles.

 

Canal Divergente da Bexiga

Ramifica-se do canal Principal da Bexiga na fossa poplítea; sobe pelo centro da coluna, passando pelo Ânus, Bexiga e Coração; no trajeto, ramifica-se para os Rins; ao chegar ao pescoço, emerge e se une ao canal Principal da Bexiga.